5 fatos que você precisa saber sobre Internet das Coisas

Por Wellington E. Alves - Head Of Automation da Indigosoft  

Com a certeza de que chegou para balançar, a tal "Internet das Coisas", do termo em inglês "Internet of Things" vem criando uma expectativa e tanto para os aficionados por novidades. Há 20 anos, professores do MIT - (Massachusetts Institute Techonology), idealizaram "coisas" que conectadas se propõe gerar e compartilhar informações. Para entendermos melhor a evolução e o potencial, vamos visitar um histórico passado e trazer para uma realidade do nosso mercado atual.

1.Quem inventou?
Kevin Ashton co fundador do AutoID Center no MIT, criou um sistema padrão de RFID e outros sensores, evoluindo para suas conexões com a internet. Em uma explicação bem sucinta o RFID é um método de identificação através de sinais de rádio que recupera dados remotos de dispositivos. Em 1999, no auge dos seus 31 anos, Kevin Ashton em uma apresentação deu nome ao sistema que tem como objetivo a conexão do mundo físico a internet através de sensores ubíquos, que na língua portuguesa remete a algo que está presente em todos os lugares e ao mesmo tempo. (Será Deus em ação?). Agora que sabemos como nasceu e qual a ideia, como posso deixar esse novo conceito apoiar no meu dia a dia.

2. Por que IoT é importante para minha vida?
É fascinante a quantidade de informações que conectadas geram benefícios em nossas vidas. O tempo hoje tem uma representação muito significativa. Se não optarmos por automatizar tarefas, algum dos nossos "pratos" tendem a cair. Agora pressione o botão de atenção do seu cérebro que vou citar alguns exemplos e possíveis sonhos de consumo sobre o impacto do IoT em nossas vidas e consequentemente na indústria: - Imagine que você acorda atrasado, corre para tomar banho, se joga no guarda-roupas, veste a primeira roupa, abre a torneira, escova os dentes. Desce as escadas acende a luz do corredor, liga o fogão, coloca água no fogo, o telefone toca: atende o telefone dizendo que já está a caminho, enquanto sobe no carro, liga o carro e parte em disparada ao compromisso. Dúvidas:

1. Será que deixei a torneira ligada?

2. E a luz do corredor?

3. Nossa, será que desliguei o fogão?

4. Droga, minha chave ficou na porta!

Em seguida recebe uma mensagem em seu smartphone:

1. Senhor "Esquecildo Ocupado", o sistema de fluxo de água de sua residência, optou por interromper o fluxo da saída 4b, pois notamos que está com dados fora do padrão.

2. Senhor "Esquecildo Ocupado", por não existência de fluxo de acionamento no sensor 9c(corredor), o sistema de energia, optou por interromper a corrente para sua economia.

3. Senhor "Esquecildo Ocupado", o sensor do dispositivo de gás da residência, notou um fluxo 60% superior do que o normal para o período, sendo assim, optou por interromper o fluxo do mesmo para segurança.

4. Senhor "Esquecildo Ocupado", o dispositivo da "fechadura1" detectou que não foi acionada a tranca. Por segurança acionamos a mesma, pois os demais dispositivos da residência estão informando que não existe fluxo de pessoas. Caso exista alguma falha, basta digitar a senha 9999 em seu teclado numérico que o mesmo abrirá. E para não ficar somente no âmbito Home User, vamos alçar voos mais altos e ir de encontro aos diferentes mercados.


3. IoT e os diferentes mercados
Com os custos de hardware cada vez mais baixo, soluções em clouds que favorecem a tomada de decisões, o avanço na eficiência dos softwares, a conectividade cada vez mais abrangente, fica evidente a contribuição na geração de negócios através do IoT. Veja algumas ideias para alguns setores do mercado:

- Saúde Hoje já existe muita coisa relacionado a saúde e bem-estar.
Dispositivos que apoiam em desempenho de exercícios, hábitos saudáveis como sono, mas ainda tem muito para evoluir, por exemplo monitoração de pacientes, localização de pacientes.

- Indústria
Localizar produtos, coletar dados de máquinas, prever possíveis falhas e desvios, tudo em tempo real é o sonho de muitos executivos.

- Transportes
Monitorar eventos de manutenção frota, trocar rotas, localizar, socorrer, prever congestionamentos, é o caminho para maximização do resultado de qualquer serviço de transportes.
Já existem alguns fornecedores desta tecnologia, no mercado. Falaremos de alguns e quais as soluções propostas.

4. Fornecedores de IoT
Arrayent
No mercado desde 2002, seu foco são equipamentos de linha branca site: http://www.arrayent.com/

Kontakt.io
É uma startup polonesa que possui um hardware de beacon, que permite configurar ofertas por localização, conforme proximidade. Beacons são aparelhos de proximidade que emitem informações site: http://kontakt.io/

Veniam Focada na internet das coisas que se movem, seu foco está em veículos. site: https://veniam.com/

5. Desafios da IoT
1. Segurança - Uma das principais dúvidas que pode surgir é como garantir a privacidade se tudo que tenho hoje envia informações via internet.

2. Armazenamento - A preocupação na quantidade de dados que serão armazenados com a tecnologia, surge como um ponto importante, pois cada usuário tem seus dados pessoais e as empresas um armazenamento em grande escala, o que gera um Big Data.

3. Internet - A largura de banda está cada vez maior, e com a chegada da IoT, propõe ainda mais a melhora e aumento da velocidade da internet, podendo ser transformada em um bem essencial, como energia elétrica. São assuntos sensíveis, sendo inclusive importante trazê-los para um board de discussões para realmente entender se a solução cabe com os riscos apresentados.


Conclusão

O mercado de IoT está em um ponto de mudança de rota, decolando fortemente para resultados exponenciais atingindo seu ápice em 2019, segundo Vernon Turner, analista de IoT da IDC, em entrevista para revista exame em outubro de 2016. Segundo o instituto McKinsey, em matéria de junho de 2015, informa que em 2025 a IoT pode gerar mais de 11 trilhões de dolares por ano, equivalente a cerca de 11% da economia mundial. O mercado tem acumulado um crescimento de entre 20 e 50% nas conexões entre dispositivos, o que propulsiona os mercados de segurança, privacidade, aplicativos, análise, cloud e serviços gerenciados, além de um grande gerenciamento de dados. Esses números, agregados a necessidade do mercado de cada vez mais automatizar tarefas do dia a dia, remete ao momento ao qual vivemos, onde a verdadeira riqueza está na informação, em ser pioneiro. Os noticiários informam cada dia da evolução dos robôs no apoio de desde atividades domésticas até em tomada de decisões baseados em dados históricos. A automação de tarefas vem cada dia mais latente, gerando necessidade de robôs para fazer cada mais por cada vez menos. Robôs? Falamos de robôs? Esse é assunto para um próximo artigo.

Comentários

Seu endereço de email não será publicado.