Geração nem-nem e desalentados: uma questão a se pensar

Nos últimos quatro anos, tivemos uma grande questão que se tornou evidente durante a crise, a taxa de desalentados cresceu 197%, isto é, as pessoas que desistiram da procura por emprego, estão sem esperança de consegui-los, e por isso, sequer são contabilizadas na taxa de desempregados. Em 2018, 4,6 milhões - 4,1% dos brasileiros – estão em situação de desalento segundo o IBGE.
Além disso, o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua) verificou que ano passado, 11,16 milhões de pessoas de 15 a 29 anos que nem estudam e nem trabalham, sendo que entre esses muitos não estão procurando emprego.
Os motivos geralmente vêm de um longo período procurando sem resultados, pessoas que se sentem pouco preparadas ou muito qualificadas para as vagas disponíveis, muito jovens ou muito velhas, sentem que aquele emprego ou qualificação “pertence a ele” ou por não conseguirem lidar com o custo da busca por emprego. No caso dos muito jovens, há também a questão de não saber ao certo como procurar.
Com a Transformação Digital, haverá cada vez menos vagas de trabalhos técnicos e mecânicos, o ser humano estará focado em tarefas mais especializadas, logo haverá mais necessidade de qualificação.
Quanto maior a escolaridade de um país, mais os jovens se sentem motivados e possuem referências para continuar os estudos e buscar qualificação. Porém o tipo de ensino, além de não ser atrativo, é muitas vezes focado em formar bons técnicos, e não analistas. Além disso, como falamos no último Blogpost, não fala a língua dos jovens, dos Millennials, que interpretam mais coisas práticas e aplicáveis do que expositivos e se atraem por meios tecnológicos para aprender.
Sem uma mudança drástica na forma de se educar, a geração “nem-nem” será um profissional amanhã “des-des”, desmotivado e despreparado. A Educação, é, portanto, o grande entrave para a ascensão econômica amanhã, pois com o reaquecimento da economia e surgimento de novas vagas, exigindo experiência e qualificação, muitos continuarão de fora por não estarem preparados.

Comentários

Seu endereço de email não será publicado.