O mundo evolui e os empregos também, você está preparado?

Por Giovanna Paulucci

Houve um tempo que colocavam estagiários para mandar arquivos via FAX, hoje em dia, achamos loucura, com a rapidez do e-mail, compartilhamento nuvem, WeTransfer, Skype, Whatsapp, podemos deixar com que ele utilize melhor seu tempo para de fato aprender sua profissão.
As formas de trabalho mudam de acordo com as necessidades da sociedade e com as tecnologias disponíveis para executá-lo. Nesse processo de desenvolvimento, muitas carreiras ficam para trás e surgem outras. Quem entra no mercado de trabalho agora deve se atentar ao que a de novo, a como a tecnologia interfere na sua profissão e escolher uma profissão que não seja estritamente repetitiva ou padronizável. Profissões como operador de telemarketing, assistente jurídico, carteiro e até mesmo piloto de avião podem ser mais facilmente automatizáveis. Segundo a Pwc, um terço das carreiras atuais não vão existir.
Os contact centers, por exemplo, que utilizam agentes hoje podem ser substituídos por autoatendimento com inteligência artificial ou chatbots a um custo menor, colocando o humano para resolver questões mais complexas, na qual ele é o especialista em relacionamento. O agente não estando mais sobrecarregado com tarefas monótonas se torna mais motivado e atende melhor.
Além disso, já existem softwares que analisam dados para tomada de decisão, ou criam designs personalizados, sendo assim analítico e criativo. Mas calma, não precisa achar que está no parque de Westworld e todos vão ser substituídos por robôs. A tarefa do ser humano é se tornar cada vez mais especialista, sabendo resolver problemas mais complexos e ter um aprendizado contínuo. Profissões que necessitem mais de arquejo social, relacionamento interpessoal precisam mais de humanos, que têm a capacidade de empatia, inteligência emocional para administrar suas emoções e a dos outros, o que é fundamental especialmente em cargos de gestão.

Comentários

Seu endereço de email não será publicado.