• diegooliveira

Google usa machine learning para decifrar hieróglifos egípcios


Apesar de ser um passatempo interessante para os curiosos, o Fabricius é um projeto sério. Além de ajudar a pesquisa acadêmica, a ferramenta serve de porta de entrada para os iniciantes no assunto. Tão fascinante quanto os feitos do Egito antigo, é o fato de que a ferramenta usa a tecnologia de Auto ML do Google Cloud, chamada AutoML Vision, para criar modelos de aprendizados capazes de compreender o que é um hieróglifo.


Desta forma, o machine learning dispensa o que antes precisava de uma equipe de cientistas de dados e várias horas de código. Agora, o AutoML Vision permite que os desenvolvedores ensinem a máquina, de forma simples, a reconhecer qualquer tipo de objeto.


Como usar o Fabricius

Num post em seu blog oficial, o time do Google explica como conhecer os hieróglifos: primeiro, é possível conhecer os antigos símbolos egípcios com apresentação informativa. A seguir, o Fabricius também permite que você traduza algumas palavras para essa linguagem e compartilhe. Por fim, a ferramenta pode ser usada para estudos mais aprofundados, como ferramenta digital de estudo. O projeto será disponibilizado como open source para facilitar o acesso dos pesquisadores.


A ferramenta do Google de tradução e estudo de hieróglifos está disponível em inglês e árabe, e foi batizada em homenagem ao alemão Georg Fabricius, pai da epigrafia – nome que se dá ao estudo de inscrições (ou epígrafes) antigas. O Fabricius foi desenvolvido em parceria com o Centro Australiano de Egiptologia da Macquarie University, a Psycle Interactive e egiptologistas do mundo inteiro, de acordo com o Google.


É possível acessar o site e conferir de perto os poderes de tradução do Fabricius aqui.




fonte: https://bit.ly/2Xeb5lz

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo